Sintomas de Gravidez: Conheça os 19 Principais Sintomas!

Está sentindo enjoos constantes, cansaço, mal estar e desconfortos abdominais? Esses podem ser sintomas de gravidez!

Eles podem surgir desde a primeira ou segunda semana após a fecundação e serem confundidos com outras situações clínicas, como por exemplo, problemas digestivos e cólicas. Mas, acalme-se! Se está preocupada com isso, traremos mais informações, além dos principais sintomas de gravidez para tirar suas dúvidas. Confira!

primeiros sintomas de gravidez

Sintomas de gravidez

Os sintomas de gravidez, geralmente são aparentes desde os primeiros dias, mas somente na 4ª ou 5ª semana são mais relevantes, fazendo com que as mulheres fiquem com dúvidas sobre a possível gestação. Afinal, para muitas, os primeiros sinais podem ser confundidos com problemas digestivos, cólicas e desconfortos abdominais que tornam-se mais intensos com o passar dos dias.

Normalmente, os primeiros sintomas de gravidez são as dores na região do pé da barriga, sensibilidade e aumento no seio, enjoo e vômitos. Assim como, corrimentos e leves sangramentos que podem ser percebidos, devido a fertilização do óvulo.

E esses são somente os primeiros sinais, indicando uma grande transformação no corpo que irá durar por toda gestação e até depois do nascimento do neném. Aumentando a necessidade de cuidados e atenção com a saúde.

Portanto, ao perceber isso, já é possível ter ficar atenta para os próximos sinais do que serão citados, para então garantir se está grávida ou não. Logo, conheça os principais sintomas de gravidez!

mulher com dor na barriga

19 Principais sintomas de gravidez

Normalmente, os sintomas de gravidez são percebidos desde a primeira ou segunda semana até a 13ª. Quando o feto já está em avanço no processo de formação. Porém, entre a 5ª e 6ª semana eles são mais intensos, causando diversas complicações para o dia a dia da mulher, que terá que adaptar-se à nova rotina.

Assim, confira os 18 principais sintomas de gravidez:

  • Pequeno sangramento ou corrimento vaginal (não ocorre na maioria dos casos);
  • Atraso na menstruação;
  • Cólicas abdominais;
  • Sensibilidade nos seios;
  • Aumento dos seios;
  • Enjoos, principalmente ao acordar;
  • Excesso de saliva;
  • Dificuldade para evacuar;
  • Sensação de barriga inchada;
  • Sensação de cansaço e sono;
  • Vontade frequente de urinar;
  • Sensibilidade no olfato;
  • Alteração no paladar;
  • Gases intestinais;
  • Tontura, principalmente pela manhã;
  • Alterações do humor;
  • Aumento e aparência escura nos mamilos;
  • Dores de cabeça e sensação de fraqueza; e
  • Pele e cabelo com mais oleosidade.
mulher enjoada

Pequeno sangramento ou corrimento vaginal

Entre a primeira e terceira semana após a fecundação do óvulo é comum haver leve sangramento ou até corrimento vaginal com uma coloração rosada. Normalmente, não possui odor e é percebido somente quando a mulher vai ao banheiro ou toma banho.

Esse pode ser o primeiro sintomas e vem acompanhado do atraso na menstruação que falaremos adiante. Portanto, se percebeu essa alteração pode ser um sinal de início de gravidez. Então, vale o cuidado de atentar-se aos próximos sinais, bem como, iniciar com hábitos saudáveis.

Atraso na menstruação

O atraso na menstruação é um dos sintomas mais comuns de serem percebidos e que indicam a gravidez. Contudo, ele só será percebido após algumas semana da fecundação, o que faz com que a descoberta geralmente ocorra entre a 3ª e 7ª semana.

Por isso, se está com atrasos na menstruação, mas ainda persiste com as cólicas abdominais que falaremos a seguir, é um possível indício de gravidez.

Cólicas abdominais

Para muitas mulheres as cólicas são normais, principalmente no período pré-menstrual. Por isso, esse sintoma nem sempre é levado em consideração como gravidez, fazendo com que grande parte duvide da suspeita até perceber outros sintomas ou realizar exames.

Por isso, se apresentou os sintomas anteriores de corrimento e atraso na menstruação e está com cólicas fortes, provavelmente está grávida e isso, sempre vem acompanhado de enjoo, dificuldades de consumir alimentos e maior sensibilidade no seio.

Logo, se está percebendo esse sinais, tome cuidado com a ingestão de remédios para alívio da dor e tente descobrir se está ou não grávida, a fim de evitar composições que podem não ser benéficas ao feto.

Sensibilidade nos seios

A sensibilidade nos seios é um dos sintomas mais fáceis de serem percebidos, pois de uma hora para outra é possível percebê-los doloridos, pesados, onde somente um toque ou esbarrão doem bastante. Logo, se perceber isso, há uma grande possibilidade de estar grávida.

Diante disso, fique tranquila e saiba que é normal, mas essa sensibilidade tende a durar por toda a gravidez, ainda mais com o aumento do seio e da aréola, que deixarão a área ainda mais sensível.

Aumento dos seios

Além da sensibilidade, o aumento dos seios também é um dos sintomas mais comuns da gravidez, principalmente entre a 5ª e 8ª semana. Isso indica o início das alterações hormonais que serão frequentes até o final da gestação.

Porém, não significa que há a existência de leite, pois ele só começará a surgir muito próximo ao nascimento do bebê. Contudo, sugere uma preparação e mudança do corpo para adequar-se às novas necessidades de manutenção e nutrição do feto.

Portanto, ao perceber aumento significativo na mama, além da sensibilidade, provavelmente já está acima do 5º mês de gravidez.

Enjoos

Os enjoos são outros sintomas frequentes na gravides, que podem aparecer desde a 5ª semana até os 3 meses da gestação.

Normalmente, eles ocorrem pela manhã, dando a sensação de ânsia e azia e por isso, tornam-se muito incômodos, muitas vezes prejudicando até os afazeres diários da mulher.

Por isso, se estiver com náuseas, principalmente pela manhã e em jejum, há grandes probabilidades de gravidez, ainda mais se estiver acompanhado dos sinais anteriores. Bem como, as transformações e mudanças no corpo.

Logo, uma dica para aliviar a sensação é comer um biscoito cream cracker ou uma fatia de maçã, antes mesmo de levantar da cama. Para algumas mulheres, tomar água gelada também pode ser uma boa sugestão, contudo, vale experimentar visto que em alguns casos pode agravar a sensação de enjoo.

Mas, saiba que é normal e em poucos meses passará. Porém, caso ache necessário, busque por ajuda médica a fim de encontrar um medicamento adequado que não irá interferir no avanço e saúde da gestação.

Excesso de saliva

Acompanhado da sensação de enjoo está o excesso na saliva, outro sintoma que provoca incômodo e que acaba favorecendo o mal estar, principalmente no começo da gestação.

Normalmente, a saliva em excesso ocorre por influência das alterações hormonais ou até pela diminuição da deglutição da saliva devido aos enjoos, o que em algumas situações pode persistir por meses, até o final da gravidez.

Isso, geralmente, causa muito desconforto e pode ser diminuído com o consumo de algumas frutas e legumes, pois ao mastigar essa saliva não permanece na boca, evitando o mal estar. Diante disso, se estiver com esse sintoma, consuma durante o dia pequenas porções de frutas e alimentos leves e, igualmente, evite permanecer longos períodos em jejum. Visto que, isso pode prejudicar.

Dificuldade para evacuar

Por volta da 5ª ou 6ª semana de gravidez, grande parte das mulheres apresentam dificuldades para evacuar, o que pode ser desconfortável e dolorido.

Geralmente, isso ocorre com o aumento na produção de hormônios, fazendo com que haja alteração no funcionamento de alguns órgãos, como o intestino. Afinal, como o corpo está se preparando para o aumento do útero, alguns órgãos próximos sofrem a redução da sua capacidade de contração, resultando em dificuldades para evacuar.

Quando isso ocorre, normalmente os médicos recomendam a ingestão de fibras, além do consumo de água que tende a melhorar os sintomas. Mas, em casos severos, vale buscar orientação médica para tratamentos eficazes que contribuam para esse período.

Sensação de barriga inchada

Além da dificuldade para evacuar relatada anteriormente, a sensação de barriga inchada é outro sintoma clássico, principalmente entre a 5ª e 7ª semana de gestação, mesmo que o feto ainda seja muito pequeno.

Geralmente, isso ocorre pois o corpo está se preparando e então, ocorre o processo de dilatação do útero, que faz com que a barriga fique maior e com a sensação de mais pesada.

Por vezes, isso também pode estar associado a dificuldade de evacuar e gases intestinais como veremos adiante, porém, é um sintoma normal e indica que o corpo da mulher já está se preparando para o correto desenvolvimento do bebê. Diante disso, comece com o uso de calças mais largas, pois a gravidez a essa altura, sem dúvidas, estará garantida.

Sensação de cansaço e sono

Devido às alterações hormonais que geralmente ocorrem entre a 5ª e 8ª semana, há um aumento significativo na sensação de sono, cansaço e fadiga, que por muitas vezes pode atrapalhar o cotidiano da mulher.

Afinal, isso ocorre de forma repentina, deixando-a por muitas vezes, com a sensação de exausta, mesmo pela manhã, pouco tempo depois de acordar.

Ao perceber isso, saiba que esse é um dos principais sintomas de gravidez mais comuns e geralmente, duram até o final do primeiro trimestre, melhorando de forma gradativa.

Portanto, fique tranquila, pois aos poucos esse cansaço irá melhor. Mas, enquanto isso, se possível, dedique alguns momentos pela manhã e também da tarde para dormir e repousar um pouco, a fim de aliviar essa exaustão.

Vontade frequente de urinar

A partir da 5ª semana de gestação é comum muitas mulheres apresentarem vontade frequente de urinar, que até então, não era normal. E isso, pode acontecer desde o início até o final da gestação, provocando alguns desconfortos, principalmente durante a madrugada, quando a vontade é mais latente, interferindo na noite de sono e descanso.

Durante os três primeiros meses, a vontade de urinar ocorre pelo mesmo motivo do intestino, porém de forma oposta. Isso porque, a bexiga tende a ficar mais relaxada para dar mais espaço ao útero. Que por sua vez limita a capacidade de armazenagem do líquido, fazendo com que haja várias idas ao banheiro, mesmo com pouca quantidade.

E após o 6º mês, esse efeito de bexiga cheia volta a ocorrer, porém dessa vez é alinhada com o aumento do peso do útero, ocasionada pelo crescimento do feto. O que resulta em maior compressão sobre as bexigas, contribuindo para as idas recorrentes ao banheiro.

Logo, saiba que isso será constante na gravidez, mas tende a melhorar após o parto. Assim, paciência!

Sensibilidade no olfato

Geralmente, por volta da 6ª semana, algumas mulheres começam a apresentar sensibilidade no olfato. O que significa, que qualquer cheiro mais forte como perfume, café, cremes, produtos de limpeza e temperos podem incomodar, resultando em náuseas e enjoos.

Por isso, nessa fase é importante evitar o uso de maquiagens ou cosméticos, entre outros produtos que tenham fragrância, mesmo aqueles que a pessoa já esteja acostumada. Pois, pode haver aversão ao odor, o que pode causar vômitos e mal estar.

O olfato aguçado, por vezes, também afeta pessoas que convivem com a grávida, fazendo com que ela sinta náuseas próximo do companheiro ou amigos, por exemplo. Logo, saiba que isso é comum e geralmente acontece até o 3º mês, melhorando de forma gradativa.

Alteração no paladar

Na mesma época do sintoma de sensibilidade olfativa, a alteração no paladar pode acontecer devido as alterações hormonais, fazendo com que haja mudanças nos gostos alimentares e até vontades súbitas de alimentos até então não muito apreciados.

Por isso, a partir da 6ª semana é comum sentir aversão por temperos, sabores e até excesso de açúcar ou sal fazendo com que certos alimentos sejam retirados das refeições durante a gravidez. Contudo, tenha atenção para os nutrientes necessários, permitindo uma dieta equilibrada e saudável para o bebê.

E saiba que essa mudança no paladar pode durar alguns meses, podendo chegar até o final da gestação. Porém, a sensação de enjoo e aversão irá diminuir, voltando ao bem estar de antes da gravidez.

Gases intestinais

Como dito anteriormente, junto da sensação de barriga inchada e dificuldades para evacuar, geralmente há também o aumento de gases intestinais que provocam certo desconforto e dor na região abdominal.

Eles surgem normalmente na 6ª semana e duram até aproximadamente o 3º mês. E igualmente, estão atrelados a diminuição de espaço e compressão dos órgão, fazendo com que haja a sensação de cólicas e dores no pé da barriga.

Logo, vale saber que esse sintoma é normal, contudo pode ser amenizado caso haja a ingestão de alimentos mais leves e com menor probabilidade de formação dos gases. Além de remédios que podem ser indicados para evitar esse efeito.

Assim, se está com gases e até excesso de arrotos, saiba que é normal nesse período. Mas é importante ter atenção até o final da gestação, para evitar mal estar e dores desnecessárias.

Tontura

Na sexta semana, as alterações hormonais estão latentes e por isso, as mudanças no organismo são drásticas fazendo com que a mulher também apresente tontura, queda de pressão e sensação de fraqueza.

Esses fatores também podem estar relacionados à alimentação e assim, é importante que a futura mamãe tenha atenção para manter hábitos alimentares saudáveis, capazes de nutrir tanto seu corpo como o do bebê.

Geralmente, essas tonturas são passageiras e tendem a durar pouco tempo. Contudo, se está com esse sintoma frequente, vale uma visita ao médico obstetra, a fim de realizar exames e verificar se não há nenhuma defasagem de vitaminas. Pois, caso isso ocorra, pode ser feita alguma intervenção com a ingestão de suplementos, a fim de garantir o equilíbrio da saúde para prosseguir com a gestação saudável.

Da mesma forma, excesso de atividades físicas e alterações no ritmo cardíaco e respiração podem causar esse sintoma, portanto, tome cuidado também nesse quesito. E se possível, busque por orientação profissional para garantir o equilíbrio e sucesso na gravidez.

Alterações do humor

Entre a 6ª e 7ª semana é comum haver alterações no humor das grávidas, graças às variações hormonais, que podem causar mudanças drásticas entre rir e chorar de uma hora para outra, por inúmeras vezes durante o dia.

Da mesma forma, nesse período é comum algumas mulheres apresentarem sintomas de depressão na gravidez, deixando-as tristonhas, chorosas e estressadas por longos períodos. Com isso, fique atenta às mudanças de sentimentos e tente manter o equilíbrio emocional mesmo diante dos desafios.

E também é importante contar com apoio de amigos e parentes para relevar essas alterações, permitindo um ambiente tranquilo e relaxado para o desenvolvimento da gravidez.

Geralmente, essas alterações perduram durante o primeiro trimestre e vão amenizando. Assim, tenha calma e se necessário não exite em buscar uma opinião médica.

Aumento e aparência escura nos mamilos

Entre a 7ª e 8ª semana, algumas mulheres também podem reparar outras mudanças nos seios, além do tamanho e sensibilidade. Isso porque, os mamilos tendem a aumentar de tamanho de forma gradativa e também escurecem, passando uma transformação até o final da gestação.

Afinal, o corpo está em constante adaptação para gerar a nova vida e isso inclui a preparação do mamilo, que irá apresentar uma pele mais rígida, que tem a função de evitar muitos danos e machucados na região sensível. Bem como, oferecer mais proteção ao bebê.

Por isso, se percebeu alterações nos mamilos, bico e aréola fique tranquila, pois é um indício do correto funcionamento do corpo para prosseguir com a gestação .

Dores de cabeça e sensação de fraqueza

Como já mencionado, a sensação de fraqueza pode surgir desde a 5ª semana de gestação. Contudo, somente entre a 7ª e 9ª semana ocorrem com frequência dores de cabeça, que muitas vezes interferem no dia a dia da mulher.

Nem todas as mulheres sentem essas dores, porém estão relacionadas às alterações hormonais, relaxamento dos vasos sanguíneos e até mudanças do fluxo sanguíneo cerebral, devido a nova necessidade de nutrição do feto. Além disso, o estresse e o cansaço também contribuem para esse sintoma. E assim, vale novamente a recomendação de a grávida manter-se em um local mais tranquilo e relaxado possível.

Nesses casos de dores de cabeça, nem sempre o alívio é fácil de ser conquistado, uma vez que, alguns remédios não são recomendados, principalmente no início da gravidez. Mas, caso persista é necessário explicar ao médico sobre o desconforto constante para amenizar.

E igualmente, tenha cuidado e atenção com a alimentação correta e regular, que pode auxiliar na prevenção da dor.

Pele e cabelo com mais oleosidade

Conforme o avanço na gravidez e constantes alterações hormonais, algumas mulheres podem apresentar excesso de oleosidade na pele e cabelo. Assim, como acnes que podem surgir a qualquer momento da gestação, com mais ênfase após a 10ª semana.

Logo, para evitar esse efeito, tenha atenção com a alimentação, evitando comidas gordurosas e ricas em açúcares, além de também manter cuidados com a pele. Porém, tenha atenção, pois alguns ingredientes presentes em cosméticos podem ser prejudiciais ao bebê. E assim, vale uma consulta com a dermatologista para tratar esse sintoma corretamente.

Normalmente, permanece até o final do primeiro trimestre e tende a melhorar até o final da gestação, quando pode ocorrer o efeito contrário. Ou seja, o ressecamento.

quais os principais sintomas de gravidez

O que fazer após perceber os primeiros sintomas de gravidez?

Após perceber os primeiros sintomas de gravidez é importante realizar um exame para atestar a dúvida.

Atualmente, há os testes de farmácia que medem o hormônio beta hCG através da urina. E também, o exame de sangue feito em hospitais e laboratórios, que é considerado mais seguro e igualmente, verifica a quantidade de hormônio do organismo, porém no sangue.

A precisão dos resultados de testes de farmácia variam de 95% a 99%, dependendo do produto e do fabricante. E o de sangue apresenta precisão de 99%, sendo extremamente recomendado e confiável.

Diante disso, logo após identificar os sintomas faça um dos exames e logo em seguida, busque por atendimento médico a fim de que o profissional possa verificar o tempo de gravidez e assim, indicar os cuidados necessários.

Lembre-se da importância do acompanhamento pré-natal e prepare-se para receber um novo bebê no mundo.

mulher fazendo teste de gravidez

Gostou de saber mais informações sobre sintomas de gravides? Então, deixe seu comentário!

Leia também sobre o que fazer em caso de dificuldades ao amamentar.

Lara Janaína Theodoro, mãe da Sara e fã de assuntos relacionados a moda, beleza, maternidade, entre outros sobre o universo feminino. Desde 2018 atua como redatora, trazendo sempre para seus artigos um pouco da sua vivência e experiência como mãe e mulher.

Deixe um comentário