Desmame: 10 Perguntas e Respostas sobre esse Processo e Como Fazer

O desmame pode ser um processo doloroso tanto para a mãe como para o bebê. Mas, vale saber que com algumas dicas é possível enfrentar esse período sem traumas e estresse, garantindo paz e equilíbrio para toda a família.

Contudo, vale saber que a amamentação é altamente recomendada até os dois anos de idade, fornecendo todas as vitaminas, nutrientes e anticorpos para a manutenção da saúde por anos.

Quer saber mais? Então continue lendo e saiba muito mais sobre o desmame, além das principais perguntas e respostas relacionadas ao assunto. Confira!

desmame como fazer

Desmame

A maternidade envolve inúmeros desafios, afinal, desde o início a criança está em processo de aprendizado contínuo, assim como os pais, principalmente os de primeira viagem. O que pode ser frustrante e também demanda tempo, persistência e muita paciência. E isso não seria diferente com o desmame, visto que além de um hábito e meio de alimentação, também simboliza um vínculo que nem sempre é fácil de ser quebrado.

E se esse vínculo é uma preocupação, fique tranquila. Pois, há outros meios de proximidade entre a mãe e o bebê, que igualmente concedem troca, afeto e cuidado, acompanhando o desenvolvimento e fase infantil.

Contudo, esse processo nem sempre é fácil e antes de tudo, é importante ressaltar que a mãe deve estar preparada. Isso porque, haverá muitos choros, momentos de estresse, nervosismo, ansiedade, entre outros. E assim, é preciso que a mulher mantenha-se forte e firme, para entender que esses episódios no início são normais, mas com o tempo tendem a amenizar, até o bebê acostumar-se com a nova rotina.

Além disso, também é necessário dizer que o desmame não ocorre de uma hora para outra e nem deve. Uma vez que isso pode causar traumas e danos ao bebê. Logo, programe-se e como já dito, prepare-se aos poucos para essa fase, pois com paciência, carinho e algumas dicas, tudo vai dar certo.

Agora, continue lendo e conheça as principais perguntas e respostas sobre o desmame. Confira!

bebê e mamãe amamentação

10 Perguntas e respostas sobre o desmame

A amamentação possui desafios desde o seu início até o fim. Isso porque, no começo o que afeta são as preocupações com a produção e possíveis dores, e depois a principal dificuldade é saber como desmamar. Afinal, após um longo período, o bebê e a mãe já estão habituados e esse momento, o que faz com que a nova rotina seja vagarosa e dolorida.

Mas, se essa é a sua aflição, fique tranquila, pois essa fase poderá ser enfrentada com calma e paciência, além de algumas dicas muito importantes para esse momento de transição.

Assim, continue lendo e veja as principais dúvidas sobre o desmame, para então iniciar sem estresse, traumas e desconfortos tanto para a mãe como para o bebê. Veja!

bebê menina processo de desmame

O que é desmame?

O desmame é um processo de mudança na alimentação via amamentação para outros tipos de consumo, o que requer tempo e paciência. E também vale ressaltar que há dois tipos de desmame, sendo o desmame natural e o com interrupção abrupta, onde o segundo revela uma necessidade urgente, que geralmente acompanha indicação médica e muito cuidado.

Normalmente, o desmame abrupto acontece quando a mãe ainda está amamentando e descobre que está grávida. Pois, nesse caso há o risco de aborto espontâneo com o estímulo das glândulas mamárias, o que requer uma interrupção repentina e imediata que pode ser um pouco complicada tanto para a mãe como para o bebê.

Afinal, o bebê deverá acostumar-se com o leite de fórmula de maneira inesperada, o que nem sempre é tão fácil e a mãe também continuará a produzir o alimento, o que pode causar dores e desconfortos como empedramento do mesmo, por exemplo. Assim, se esse é o seu caso, vale aderir a algumas dicas que citaremos adiante, além de acompanhamento médico que poderá auxiliar para essa situação.

Mas, caso não haja problemas, o mais indicado é realizar o processo de desmame natural, que respeita a criança e igualmente, promove benefícios e maior autonomia de forma gradual e amena.

Quando começar o processo de desmame?

Para responder a essa pergunta é importante, antes de mais nada, ressaltar que, segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde, o aleitamento materno deve ser a alimentação exclusiva do bebê até os 6 meses de vida. E somente a partir desse período é que outros tipos de alimentos devem ser oferecidos, mas sempre em conjunto com o leite materno, pelo menos até os 2 anos de idade.

Por isso, o mais indicado é que o processo de desmame comece somente a partir dos 2 anos ou mais, contudo, é sabido que em muitos casos isso não é possível, devido principalmente, a jornada dupla da mulher que inclui trabalhar fora por longos períodos.

Assim, se possível aguarde até essa idade, mas se não houver alternativas é importante procurar por auxílio de um médico pediatra que poderá indicar a melhor forma de cuidar e manter a nutrição do seu bebê adequadamente.

Como iniciar com o processo de desmame natural?

Para iniciar com o processo de desmame, antes de mais nada é necessário que a mãe prepare-se física e emocionalmente, afinal, o bebê no início pode ser contra as mudanças na amamentação, o que resulta em estresse, choros e nervosismo.

Com isso, a primeira dica nessa etapa é programar-se e assim, anote os horários que o bebê tem o hábito de mamar e escolha um determinado para iniciar, contudo, por hora, evite as amamentações antes de dormir.

Isso porque, ao tirar a mamada antes de dormir, tanto a tarde como a noite, pode gerar grande carga de estresse emocional ao bebê, fazendo-o sofrer muito e dificultando os períodos de sono.

Logo, escolha uma amamentação que não seja a anterior ao sono e retire efetivamente por 2 semanas. Após esse período, escolha outro momento de aleitamento e também retire pelo mesmo prazo e assim sucessivamente até acabar com todas as mamadas.

As anteriores ao momento de dormir, como já dito, podem ser um pouco mais complicadas. Assim, ao decidir retirá-las, tenha bastante paciência e empatia para entender essa fase do bebê. E também ofereça bastante afeto, colo, carinho e até objetos como ursinhos, pelúcias e naninhas, que podem agir como um substituto nesse momento.

O que fazer se o bebê estiver sofrendo muito com o desmame?

No início é comum que os bebês sofram com a nova rotina de desmame. Assim, para amenizar esses sentimentos de ansiedade, não deixe de dedicar um tempo para o neném com muito amor, demonstração de carinho e cumplicidade.

Logo, cante músicas, conte histórias e crie outros tipos de laços que possam aproximar nesses momentos de dúvidas e inseguranças, principalmente para a criança.

Da mesma forma, o apoio do pai e círculo familiar são fundamentais, visto que esse período pode sobrecarregar fisicamente e emocionalmente a mãe. Por isso, antes de começar com o desmame também converse com os demais familiares que prestam ajuda e reforce essa necessidade até o desmame ocorrer gradualmente e de maneira saudável.

Como oferecer leite durante o desmame?

Iniciar com o desmame, não significa que o bebê também deixará de consumir leite. Por isso, a princípio procure retirar o leite materno com bombinhas, a fim de armazenar e oferecer em copinhos, colheres ou até mamadeiras, caso a família queira.

O leite materno pode ser congelado no freezer por até 2 meses e assim, é ideal principalmente para as mães que desejam fazer o desmame devido ao retorno ao trabalho. Por isso, ao iniciar com o desmame, retire o excesso com a bombinha e lembre-se de escolher modelos adequados e confortáveis, que realmente auxiliem para essa fase.

O que fazer se o leite empedrar no seio?

Ao iniciar com o desmame, nem sempre o fluxo de leite diminui de imediato, o que pode causar dores no seio e empedramento. Assim, uma boa dica é fazer compressas com água fria, que irão amenizar a sensação quente e de ardor. E também durante o banho, deixe a água morna cair em cima no seio e faça massagens com movimentos de compressão circulares.

Faça isso sempre que sentir incômodo e também retire com a bombinha, a fim de evitar o acúmulo de leite no seio, o que resulta em dor e empedramento. E se possível informe ao seu médico ginecologista ou até ao pediatra, a fim de encontrar uma melhor solução. E caso o desmame seja abrupto, também informe esse problema ao especialista, para diminuir o desconforto.

Mas, sem dúvidas, as compressas e massagens irão ajudar bastante. Assim como o uso de sutiãs e tops que comprimem mais os seios, visto que ao ficarem mais firmes e apertados, há a diminuição na produção. Portanto, não deixe de seguir essas dicas.

É recomendável utilizar produtos com sabor ruim para evitar que o bebê pegue o peito?

Não, essa prática, geralmente usada pelos antigos não é recomendada, uma vez que pode causar algum trauma à criança, que sofre uma mudança repentina entre uma prática prazerosa para uma dolorosa e desagradável.

Assim, segundo médicos especialistas, o ideal é não usar produtos que interfiram no sabor do peito. E sim, realizar o desmame natural e gradual, que na maioria dos casos tende a dar certo, evitando o sofrimento da criança, mesmo que demore alguns meses para ser concretizado.

Remédios para secar o leite materno são indicados?

Segundo opiniões de especialistas, remédios para secar o leite materno não são recomendáveis, ainda mais no início do desmame, onde esse tipo de alimento pode ser oferecido por outros meios, como copinhos e mamadeiras. Assim, o ideal é tentar sessar com métodos naturais, que irão diminuir gradualmente a produção, o que evita maiores desconfortos tanto à mãe como ao bebê.

Por isso, se deseja diminuir a produção, a dica é fazer compressas com água fria, pelo menos 3 vezes ao dia, por no máximo 15 minutos. E também colocar tops, sutiãs ou ataduras no seio que deixem-os apertados e assim, a produção irá diminuir.

Da mesma forma, segundo algumas opiniões, consumir menores quantidades de líquidos e praticar atividades físicas intensas também diminuem a quantidade de produção do leite materno, reduzindo de forma considerável a produção, sem o consumo de medicamentos.

Contudo, se esses métodos naturais não estiverem surtindo efeito, será necessário uma consulta com o médico, que irá recomendar a melhor tratativa na sua situação.

Como desmamar sem perder o vínculo com o bebê?

O medo de muitas mamães é sobre a possível quebra do vínculo que pode ocorrer com o desmame. Contudo, saiba que isso tudo é um processo de adaptação que pode ser tranquilo e cheio de benefícios a todos os envolvidos.

Com isso, como já mencionado anteriormente, para manter o vínculo entre mãe e filho, uma boa dica é no lugar da amamentação, dedicar um tempo exclusivo ao bebê com muito afeto, troca e cuidado. Nesse momento, cantar músicas, embalar no colo, contar histórias e cafunés são ótimas sugestões. Assim, como conversas e olhares, que irão estreitar os laços.

Portanto, não fique com medo de magoar o seu bebê durante esse processo de desmame e lembre-se que além de necessário, irá garantir mais autonomia e confiança tanto à mãe como ao neném.

Qual leite oferecer à criança após o desmame?

Após o desmame, uma das maiores dúvidas e preocupações dos pais é sobre qual o leite mais adequado para a substituição. Por isso, a indicação é sempre buscar por uma opinião do médico pediatra ou nutricionista, que irá fornecer as informações adequadas sobre as necessidades de nutrição para a fase da criança, evitando perda de nutrientes e vitaminas importantes ao crescimento.

Como o desmame geralmente ocorre quando há a inserção de alimentos, o mais importante é oferecer refeições ricas em vitaminas que mantenham o equilíbrio da saúde. Além de variedades que irão diversificar o cardápio do bebê.

E quanto aos leites, se possível prefira opções que atendam a fase de crescimento e também aqueles ricos em vitaminas e proteínas, que irão garantir a suplementação, além de probióticos que irão auxiliar no funcionamento do intestino.

bebê tomando leite

O que achou das nossas dicas e informações sobre o desmame? Deixe seu comentário!

Leia mais sobre a rotina alimentar para bebês de 1 ano!

Lara Janaína Theodoro, mãe da Sara e fã de assuntos relacionados a moda, beleza, maternidade, entre outros sobre o universo feminino. Desde 2018 atua como redatora, trazendo sempre para seus artigos um pouco da sua vivência e experiência como mãe e mulher.

Deixe um comentário